Notícias locais

24 de novembro de 2020

Confiança dos empresários paulistas cresce pelo quinto mês seguido, mostra FecomercioSP


Expectativas para Black Friday e Natal apresentam horizonte positivo para últimos meses de 2020

Após sete meses, o Índice de Confiança do Empresário (ICEC) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) voltou ao patamar dos 100 pontos e fechará o mês de novembro em 100,6 – alta de 4,8% em relação a outubro, solidificando ainda mais a recuperação da economia paulista.
É o quinto mês seguido de aumento do índice, que chegou a ficar em 61 pontos em junho. No início de 2020, chegou a 123,2 pontos.
icec

O resultado positivo se deve principalmente à melhora do Índice das Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC), um dos três indicadores que compõem o ICEC e que pergunta aos empresários sobre as condições momentâneas dos seus negócios e do ambiente econômico. Nele, a variação foi para cima em 7,4%, em novembro, chegando aos 63,8 pontos.
Apesar dos números em alta, a confiança do empresariado segue abaixo em relação ao mesmo mês do ano passado, quando o ICEC registrava 119,2 pontos – queda de 15,5%.
Comércio também cresce
A melhora no fluxo de caixa dos comerciantes paulistas e as expectativas de melhora nas vendas na datas de fim de ano, como a Black Friday e o Natal, fizeram com que o Índice de Expansão do Comércio (IEC) da Federação também tivesse resultado expressivo em novembro: alta de 10% – de 88,4 pontos, em outubro, para 97,2, agora.
O indicador registra crescimentos consecutivos desde junho, quando teve um dos piores resultados recentes: 62,8 pontos.
iec

No caso do IEC, os dois indicadores que compõem o índice cresceram significativamente em novembro: o de Expectativas para Contratação de Funcionários (9,4%) e de Nível de Investimento das Empresas (11%).
Na comparação com novembro de 2019, porém, a situação é a mesma: queda de 13,7%, quando o índice estava em 112,7 pontos.
Sustentando a recuperação
Como a Federação vem afirmando há alguns meses, a retomada econômica depende cada vez mais de uma adaptação dos empresários à realidade pandêmica. Isso significa, sobretudo, um controle mais eficiente de receitas e de estoques – prática que vem sido adotada, já que o Índice de Estoques (IE) de novembro subiu 0,6%, chegando a 105 pontos.
ie

Na gestão financeira, organizar os setores mais produtivos do negócio e ajustar os gastos e os investimentos em relação ao quanto entra no caixa são medidas importantes.
Já em relação à postura no mercado, a FecomercioSP salienta a importância de estar cada vez mais atento à movimentação dos consumidores – que não apenas estão mais exigentes e com mais presença online, como também têm agora à disposição um novo meio de pagamento: o PIX. Nesse cenário, quem conseguir inovar e agregar valor aos produtos terá vantagens significativas em relação à concorrência.

PRINCIPAIS NÚMEROS DOS INDICADORES EM NOVEMBRO

Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC)

quadro1

Índice de Expansão do Comércio (IEC)
quadro2

Índice de Estoques (IE)

quadro3

Notas metodológicas
ICEC
O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) contempla as percepções do setor em relação ao seu segmento, à sua empresa e à economia do País. São entrevistas feitas em painel fixo de empresas, com amostragem segmentada por setor (não duráveis, semiduráveis e duráveis) e por porte de empresa (até 50 empregados e mais de 50 empregados). As questões agrupadas formam o ICEC, que, por sua vez, pode ser decomposto em outros subíndices que avaliam as perspectivas futuras, a avaliação presente e as estratégias dos empresários mediante o cenário econômico. A pesquisa é referente ao município de São Paulo, contudo sua base amostral reflete o cenário da região metropolitana.
IEC
O Índice de Expansão do Comércio (IEC) é apurado todo o mês pela FecomercioSP desde junho de 2011, com dados de cerca de 600 empresários. O indicador vai de 0 a 200 pontos, representando, respectivamente, desinteresse e interesse absolutos em expansão de seus negócios. A análise dos dados identifica a perspectiva dos empresários do comércio em relação a contratações, compra de máquinas ou equipamentos e abertura de novas lojas. Apesar desta pesquisa também se referir ao município de São Paulo, sua base amostral abarca a região metropolitana.
IE
O Índice de Estoque (IE) é apurado todo o mês pela FecomercioSP desde junho de 2011 com dados de cerca de 600 empresários do comércio no município de São Paulo. O indicador vai de 0 a 200 pontos, representando, respectivamente, inadequação total e adequação total. Em análise interna dos números do índice, é possível identificar a percepção dos pesquisados relacionada à inadequação de estoques: “acima” (quando há a sensação de excesso de mercadorias) e “abaixo” (em casos de os empresários avaliarem falta de itens disponíveis para suprir a demanda em curto prazo). Como nos dois índices anteriores, a pesquisa se concentra no município de São Paulo, entretanto sua base amostral considera a região metropolitana.

Voltar para Notícias

parceiros